Desafios e surpresas da vida

O que a vida tem para nós é sempre superior àquilo que conseguimos imaginar.

Esta frase vem a propósito de uma viagem que fiz aos Passadiços do Paiva. Sair de casa e ir à aventura sempre foi uma coisa que o meu Consciente quis fazer, no entanto a minha Mente muito receosa, sempre me disse que era melhor estar sossegada. Nesta fase da minha vida tentei perceber porque é que tenho tanta dificuldade em sair e aventurar-me por este mundo fora.

É na infância que adquirimos os mais diversos memes (pensamentos, convicções ou atitudes transmitidos de mente para mente e que influenciam subtilmente o nosso comportamento), crenças e medos que depois se revelam quando somos adultos. Confesso que em criança nunca gostei muito de viajar, enjoava com facilidade e saia da minha zona de conforto, o que me atormentava. Foram poucas as viagens que fiz com os meus pais, daí talvez a insegurança ser ainda maior. Depois disto, as emoções ligadas às viagens não são as mais positivas. Ora tudo foi como tinha de ser!

Consciente destas minhas questões, hoje tento inverter esta situação e superar o medo que tenho de me aventurar, até porque já tive algumas aventuras bem engraçadas em viagens que fiz, sozinha e acompanhada!

Organizada a viagem aos Passadiços do Paiva, o piquenique e o GPS, saímos cedinho para desfrutar da natureza durante as horas mais frescas. Isto era aquilo que eu gostaria que tivesse acontecido, mas… a vida não era tão mágica se não alterasse os planos dos comuns mortais.

Uma hora e meia depois de estarmos no caminho percebemos que estávamos noutro local. Eu e as tecnologias nem sempre falamos a mesma língua e o GPS levou-nos para outro lugar! Estávamos a 1h40 dos Passadiços, ou seja era como se começássemos a viagem toda de novo. Quando dei conta que o “erro” tinha sido meu, um turbilhão de emoções invadiu o meu ser.  A incapacidade de lidar com a frustração dominou-me por completo.

Criei uma expetativa em relação àquela viagem e naquele momento caiu tudo por terra. Por mais que me tentassem animar e dizer que estava tudo certo, não era isso que ecoava na minha cabeça. A questão era: porque é que isto me teve que acontecer?

Passado algum tempo, e com alguns incentivos à mistura, consegui ver a situação de outra perspetiva. O GPS levou-nos para sítios que certamente nunca iriamos visitar, com paisagens fantásticas e caminhos realmente diferentes. Em vez de dizer mal à minha vida, tentei ver a oportunidade que ela me estava a dar, mas de início não foi fácil!

Quando finalmente chegámos aos Passadiços do Paiva estava feliz por ter conseguido ultrapassar aquele primeiro desafio. Não estava à espera logo de um segundo, confesso, mas foi o que aconteceu. A escadaria, o calor, e as emoções aos trambolhões formaram um belo cocktail. As lágrimas vieram-me aos olhos e o medo de não conseguir continuar e ter de voltar para trás instalou-se. Percebi que o meu lado emocional não me estava a facilitar. Mais uma vez tinha de fazer uma escolha e decidi continuar, com várias paragens pelo meio e muita água à mistura, subi e desci aquela imensidão de degraus.

A Natureza presenteou-nos com paisagens maravilhosas e uma obra humana também. Sem dúvida, é um percurso que aconselho para quem gosta de caminhar. Mas o verdadeiro presente estava a meio do percurso, numa das praia fluviais. A água do rio Paiva estava completamente apetecível e a beleza daquele espaço era fantástica. Não hesitámos em entrar na água e por lá ficar algum tempo. Para além do rio existia uma cascata igualmente magnífica, mas aí a água já era mais fresquinha.

Já mais tarde e depois de refletir sobre o que aconteceu surgiu outra pergunta… Como é que eu lido com as coisas que não acontecem do jeito que eu queria que acontecessem?

Na maioria das vezes, eu espero que as coisas aconteçam do jeito que eu quero que elas aconteçam, porque eu não quero ter de me adaptar e repensar aquilo que eu programei e não quero sair da minha zona de conforto. Acho que no fundo… ninguém quer sair da sua zona de conforto. No entanto aquilo que a vida nos dá a seguir pode ser tão bom que supera as nossas expetativas! É curioso não é?

A vida deu-me uma oportunidade de encarar as coisas de outra forma e de mais uma vez poder enfrentar o meu lado mais negro e fortalecer-me. Aquilo que durante alguns minutos eu achei que era uma desgraça, transformou-se numa oportunidade que veio trazer infinitas possibilidades de ver e fazer outras coisas. Percebi como é importante relaxar e deixar as coisas acontecerem.

Está sempre tudo certo! Tudo segue perfeito segundo a ordem divina.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: