Não devemos fugir do nosso próprio destino

É a possibilidade de realizar os meus sonhos que torna a vida interessante. No entanto, parece que quando surge a hipótese de concretizar um sonho há uma vontade muito grande de fugir! Todos temos o poder de concretizar os nossos sonhos, mas temos medo de realizá-los, porque depois achamos que não há motivos para estarmos vivos. Não devemos fugir do nosso próprio destino, no entanto eu vejo-me muitas vezes bastante descontrolada com a hipótese de que algo de bom aconteça, parece que é mais fácil pensar negativo ou continuar a vitimizar-me.

Isto que eu escrevi parece uma patetice, mas acontece-me mais vezes do que eu pensava. Senti-me muitas vezes incapacitada de escolher o meu próprio destino. Rendia-me às evidencias e ponto final. Aceitava que  a vida era assim e não fazia nada para que fosse diferente. Acho que a maioria das pessoa ainda usa a desculpa do destino, ou seja, culpa o destino da sua incapacidade de escolher o próprio caminho. Em algum momento da nossa existência perdemos o controle da vida  e ela passa a ser governada pelo “destino”. Bem eu até gostava de conhecer esse tipo, deve ser interessante para lhe entregarmos o nosso bem mais precioso!

Nos últimos tempos tenho tentado ser eu a “dona” do meu destino, mas sei que não sou totalmente, pois há muitas coisas que me surpreendem e que eu não estava à espera. Confesso que essas situações que são uma surpresa às vezes angustiam-me, mas depois de passar algum tempo e de eu olhar para elas com outros olhos vejo a magia que elas transportam. Quando eu não controlo nada o meu lado histérica fica doida e há um reboliço na minha cabeça. Muitas vezes aparento uma calma esquisita, mas cá por dentro não há nada disso! Assumo que tenho pouca experiência em certas coisas que nunca fiz e sinto-me muito parola porque me apercebo dessa ingenuidade. Todos temos de aprender, pois não nascemos ensinados, por isso está tudo certo.

A coincidência e a sorte são sinais que o Universo me dá para que o meu propósito de vida se realize. Eu costumo dizer que não há coincidências, hoje aprendi que elas fazem parte de uma cadeia misteriosa que vai unindo uma coisa à outra para me levar a uma finalidade. Tirei o curso de professora, trabalhei num ATL, comecei a dar aulas, trabalhei onze anos na área e depois vim-me embora?? Começo a perceber todo este trajeto para poder escrever as histórias que estou a escrever, para poder continuar a trabalhar com crianças, mas de outra forma. Este trajeto, cheio de curvas, de subidas íngremes e de descidas tortuosas foi importantíssimo para eu ter chegado onde estou hoje, a fazer o que estou a fazer e a concretizar um sonho!

Este é só um exemplo, a minha vida está cheia deles e a vossa também! É só olharem para lá. As coisas mais simples são as mais extraordinárias, mas nem sempre consigo vê-las. Aperceber-me que há um timing perfeito para tudo e que há coisas que acontecem numa hora tão perfeita faz-me sentir feliz, mesmo que algumas dessa situações tenham sido dolorosas ou até mesmo embaraçosas.

“A mão de Deus é infinitamente generosa, apesar do seu rigor”, in Alquimista, Paulo Coelho

One thought on “Não devemos fugir do nosso próprio destino

Add yours

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: