Esforço vs disciplina

Há momentos na vida em que sinto que estou literalmente em esforço. Passei anos da minha vida a esforçar-me para que certas coisas corressem bem e depois quando dava por ela parece o que esforço tinha sido em vão. Quanto mais me esforçava para que algo acontecesse, pior corria e nada acontecia. E a disciplina? Como é que ela entra aqui, como algo oposto ao esforço?

Esta foi uma aprendizagem que fui fazendo, a disciplina é aquilo que anula o esforço. Nem sempre percebi que estava em esforço, mesmo depois de ter aprendido um pouco mais sobre esforço e disciplina. Ao longo do tempo tenho-me apercebido com mais facilidade destas duas energias.

O esforço surge quando estou a contrariar a minha essência, quando sou teimosa e insisto em ir na direção oposta àquela que devo ir, quando faço uma birra enorme porque as coisas não aconteceram como eu queria (os adultos fazem muitas birras!), quando tenho dificuldade em reconhecer a verdade, quando não aproveito as oportunidades para crescer, quando sou rígida, finjo que está tudo bem, quero controlar tudo… ufa… só de as enumerar faço um esforço!

A disciplina anula o esforço. A disciplina do discernimento, da verdade, do respeito, da humildade, deve ser a ferramenta que o coração deve usar para nos transformar e afastar do esforço e do ruído constante em que vivem os nossos pensamentos. A disciplina traz paz e suavidade. Eu, ao seguir uma determinada disciplina, estou a diminuir o esforço em que vivia antes. Ainda que isso me traga alguma dor, pois é difícil manter a disciplina nas mais variadas coisas da vida, reconheço que o esforço tem vindo a diminuir.

Forçar-me a fazer algo que foge da minha essência, obrigar-me a cumprir com certas obrigações só porque os outros querem ou só porque é socialmente correto, leva-me a um determinado limite. A vida deixa de fluir e por mais que me esforce tudo corre mal.

Ao criar uma determinada disciplina desenvolvo um certo respeito por mim mesma, há uma leveza e um conforto que vou aprendendo a ter. Se quero comer comida saudável tenho de me disciplinar a fazer boas refeições, organizar o meu tempo, as compras e colocar em prática. Se não quero que o meu corpo adoeça tenho de o respeitar, de o ouvir e de mudar aquilo que o faz sofrer. Se quero que os outros me respeitem tenho de começar por me respeitar a mim mesma, o meu tempo, o meu espaço. Amar é respeitar.

É muito fácil entrar em esforço e fazer uma birra, mas se eu quero que os meus projetos avancem tenho de me dedicar a eles e manter uma disciplina para comigo mesma. Não é fácil ser disciplinada e disciplinar-me a mim mesma! Mas tudo se aprende e no meu caso tem sido muito compensatório.

A disciplina também traz humildade, para reconhecer as minhas limitações, para saber pedir ajuda, para me expor quando é necessário e me recolher no momento certo, analisar os meus comportamentos, aceitar que não controlo nada, arriscar e enfrentar os meus medos, cair e ficar atenta à próxima queda… e muitas outras coisas que me ajudam a viver numa harmonia que escolhi para mim!

Disciplinar-me a ouvir-me a mim mesma, observar os outros, aprender com os meus reflexos e com as perspetivas dos que me rodeiam tem-me trazido pequenas vitórias que me fazem ficar em paz.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: